• O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.
  •  21 2418-7141

 

H
oje é o Dia da Bíblia... uma boa oportunidade para que perguntemos: O que pode significar a Bíblia para os cristãos? A resposta correta deveria surgir da certeza de que Deus capacitou Moisés, levando-o a um profundo conhecimento da ciência de sua época (Atos 7.22) para que ele tivesse condições para começar o registro escriturístico acerca do Deus Criador, da criação e da queda do homem, da redenção proposta pela vinda do Filho Bendito e da promessa da restauração plena na volta gloriosa do Cristo...tudo evidenciado nos cinco primeiros livros da Bíblia (o Pentateuco).

A resposta a essa pergunta deveria ser movida pela certeza que em cada etapa de sua narrativa os registros bíblicos iam sendo feitos por mãos humanas, mas também inspirados pelo mesmo Espírito que vivificou o barro moldado em Adão, ainda no Éden. Logo, a Bíblia deveria ser entendida como textos escritos por mãos humanas, mas com plena autoria divina.

A Bíblia deveria ser vista como a fala de Deus para o povo descendente de Abraão, em cada período de sua trajetória. Uma fala certeira para cada época, embora sempre apontando para o porvir...até que o filho da mulher fosse revelado ao mundo, o novo Adão...Jesus de Nazaré.

Indo para Nazaré, onde fora criado, entrou, num sábado, na sinagoga, segundo o seu costume, e levantou-se para ler. Então, lhe deram o livro do profeta Isaías, e, abrindo o livro, achou o lugar onde estava escrito: O Espírito do Senhor está sobre mim, pelo que me ungiu para evangelizar os pobres; enviou-me para proclamar libertação aos cativos e restauração da vista aos cegos, para pôr em liberdade os oprimidos, e apregoar o ano aceitável do Senhor. Tendo fechado o livro, devolveu-o ao assistente e sentou-se; e todos na sinagoga tinham os olhos fitos nele. Então, passou Jesus a dizer-lhes: Hoje, se cumpriu a Escritura que acabais de ouvir.Lucas 4.16-21

A Bíblia, portanto, deve ser entendida como a mensagem que fala do Cristo, na medida em que ele mesmo a usa para iniciar seu ministério. Ela foi a forma escolhida para que, em cada parte dela, a santidade, a justiça, a graça, a bondade de Deus fosse revelada. Ela é linda em cada parte e em seu todo, sem contradições ou erros. Dela procede o doce conselho e o mais profundo consolo, para nossos dias como antes. Suas letras são inflexíveis em mostrar a Lei de Deus e em cada verso revela a verdade eterna, que tudo regenera a partir daquele que é a própria verdade. Nela tudo, exatamente tudo, em cada página, segue construindo a face visível do Deus invisível...o Cristo que nasceu, foi morto, ressuscitou e voltará para sempre estar com os seus irmãos, eternamente.

A Bíblia, desta forma, deveria ser presente em nossos cultos, em nossas casas, em nossa vida, como uma lâmpada acesa em meio a nossa obscuridade e como uma bússola em meio a nossa ausência de referenciais...porque há muito tempo o homem tornou-se cego. Mas a desprezamos, muitas vezes, porque somos mestres em construir novos caminhos...sempre longe de Deus. Somos especialistas em estabelecer vínculos de guerra, quando só ela mostra-nos o Príncipe da Paz. Portanto, a Bíblia deveria ser entendida como a voz de Deus. Deveria, assim, estar no centro de nossa existência e percebida como a única voz que aponta para a vida em um tempo onde a morte é abundante e o engano é crescente.


  Autor
  Pr. Ilton Sampaio de Araújo

Ilton S. Araújo é pastor na Igreja Congregacional Campograndense, Rio de Janeiro.
Bacharel em Teologia, graduado em História e MBA em Gestão em Educação. Ilton é diretor pedagógico e também professor no Seminário Teológico do Oeste.


 

Voltar